[LIVRO] A very large expanse of sea, Tahereh Mafi

Olá pessoas, tudo bem?

A resenha de hoje é de um livro lançamento de 2018 que eu fiquei muito intrigada para ler logo que lançou. Ao contrário do que estamos acostumados a ler da Tahereh Mafi, esse livro é um jovem adulto contemporâneo e não fantasia como já na conhecida série "Estilhaça-me" da autora. 


No livro vamos conhecer a protagonista Shirin, uma garota de 17 anos, muçulmana que sofre muito bullying na escola por conta disso. A história do livro vai se passar um ano após o atentado do 11 de Setembro e vai relatar a experiência dela com toda a situação. Se antes do atentado ela já sofria algum tipo de preconceito, depois do 11 de Setembro a situação dela foi ainda pior. 

Ela passou a ouvir todo quanto é tipo de xingamento, agressão física e psicológica de todos os lados e ela nunca entendeu o porquê disso. Shirin ainda usa o hijab, aquela veste que algumas das mulheres da mesma religião também usam, ela não tem vergonha disso e muito menos da religião dela, mas as pessoas insistem em julgá-la por um acessório. Vale ressaltar que Shirin não usa a veste por ser obrigada, mas sim por se identificar com o sentido por trás e por ter orgulho da religião que tem - mesmo que as pessoas tendem à maltratá-la por isso. 
“I understood too well what it was like to feel like you were defined by one superficial thing- to feel like you would never excape the box people had put you in” ("Eu entendo muito bem o que é ser definido por algo tão superficial - sentir que você nunca vai conseguir escapar da denominação que as pessoas colocaram em você")
Por conta de todos os perrengues que ela já passou, Shirin é uma jovem muito fechada. Ela não amigos e por onde passa sempre encara o chão, ela se recusa a olhar nos olhos da pessoas e ver a cara que eles fazem por onde ela passa. Na escola a situação não é muito diferente, as pessoas vira e mexe fazem comentários desrespeitosos que ela tenta ignorar ao máximo, por mais difícil que seja. 

Certo dia, na aula de biologia ela se vê obrigada a fazer um trabalho em dupla com um menino chamado Ocean. Ele parece ser um cara sensato, que conversa com ela e não a julga como o resto das pessoas, além de ser bonito e muito simpático também. A cada dia que passa Ocean e Shirin acabam se tornando mais próximos, mas será que apenas o gostar um do outro será suficiente? Será que eles vão aguentar todos os xingamentos e agressões de seus colegas de escola, assim como dos pais e professores? O que poderia ser uma simples história de amor adolescente acaba se tornando um pesadelo na vida dos dois e autora ainda consegue, com muita sabedoria, dar vários tapas na cara com as lições que ela apresenta no livro. 


Esse foi um livro que eu li em apenas um dia, eu não consegui colocar o livro de lado, não pude deixar essa história para depois, sabendo que eu precisava ler o que iria acontecer com os personagens. O romance na história é meio vai e volta, ao mesmo tempo que você torce pelos personagens você vê o resto do mundo querendo acabar com esse relacionamento que não tem nada demais. São apenas dois jovens apaixonados vivendo o melhor da idade, o fator religião não deveria ser um problema, mas é!

Amei a relação entre Shirin e seu irmão Navid, e isso só acentua o quanto precisamos ter a família do nosso lado em todas as situações. Shirin tem tudo para ser uma adolescente revoltada com a vida e com as pessoas, mas de alguma forma ela cansou de lutar contra e com a ajuda do irmão, acaba buscando refúgio na música e na dança - que tem um papel muito importante na história.
“I’m just—I’m sick and tired of trying to explain to the world why racism is bad, okay? Why is that my job?” ("Eu estou cansada de tentar explicar para o mundo o porquê do racismo ser ruim, tá? Por que isso deveria ser minha função?")
Além disso, a autora conseguiu mostrar o que já de pior na humanidade, xenofobia, bullying, fanatismo e preconceito de todos os lados. E com tudo o que li, eu só consegui sentir raiva, medo, angústia, decepção e um pouco de esperança também em saber que nem todas as pessoas são esses monstros. É um livro que vai te provocar e vai trazer à tona o pior e melhor que há dentro de você. 


Em época de intolerância, o livro vem mais como um tapa na cara e te mostrar a realidade, enquanto você está aí julgando e maltratando alguém, saiba que ali do outro lado, existe alguém que sofre, que não escolheu aquela situação e que todos os dias tem uma batalha nova para lutar enquanto você vai voltar a sua vida de privilégios. 

Fator interessante é que boa parte do livro foi inspirado na vida da própria autora, ou seja, muito do que a gente lê ali aconteceu de verdade e quebra meu coração em pedaços só de saber o quanto ela já sofreu e em quanto milhões de outros jovens, na mesma situação, sofrem por aí. 


Enfim, a resenha já está gigante, mas eu quis dar um parecer de vários aspectos do livro que achei interessante ressaltar, que talvez faça vocês querer ler essa história e recomendo que vocês façam! É importante ler algo que traga uma outra perspectiva de mundo e também um pouco de representatividade em um assunto que não estamos tão acostumados assim. 

A Very Large Expanse of Sea
Tahereh Mafi
ISBN-13: 9780062866561
ISBN-10: 0062866567
Ano: 2018
Páginas: 320
Editora: HarperTeen


Acompanhe o blog nas redes sociais!
Instagram ♦ Twitter ♦ Facebook ♦ Skoob ♦ Goodreads ♦ Pinterest

Um comentário:

  1. Nossa, ainda não conheço a escrita da Tahereh, mas esse livro me parece muito bom.
    Forte, com temas relevantes, sinto que vou amar.

    Beijos

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.