13 de abr de 2014

2 em 1: Divergente, de Veronica Roth

E aí pessoas, tudo bem? Hoje o resenha 2 em 1 de hoje será o livro do momento "Divergente" da Veronica Roth. Não há spoilers a ponto de prejudicar a história.
Sinopse 
Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em 5 facções - Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição - e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive. "Uma escolha pode te transformar".

Para ler as resenhas é só continuar lendo

Livro
Todos os adolescentes de todas as facções ao completar 16 anos se transformam em adultos e cabe a eles, nessa idade, decidir qual facção seguir a partir do teste de aptidão. A história é narrada em 1ª pessoa, por Beatrice Prior (Tris). São cinco facções: AUDÁCIA, ABNEGAÇÃO, ERUDIÇÃO, AMIZADE, FRANQUEZA.

Tris nasceu e cresceu em uma das cinco facções, na Abnegação, junto com seu irmão e seus pais e está na hora dela fazer o teste para decidir seu futuro, assim como seu irmão. Ela estava com medo do que seu teste pudesse revelar e estava nervosa por não saber qual facção seguir, continuar com sua família ou seguir seus instintos e pensar em si mesma. Enfim, o resultado do seu teste dá-se inconclusivo, tendendo para três das facções: Abnegação, Erudição e Audácia e isso aos olhos da sociedade é uma pessoa prejudicial, não é igual às outras pessoas, ela é uma Divergente.

Na cerimônia de escolha seu irmão surpreende a todos escolhendo a Erudição e ela escolhendo a Audácia. A partir daí começa a história, ela tem que passar pelo treinamento da Audácia, chutes, socos, sangue, facas, tiros... É bem cruel, seus iniciados tendo que desafiar a morte, pois a Audácia é uma facção de corajosos, não pode ter medo, tem que enfrenta-los e não pode se render, pois quem desiste e se rende acaba sendo um SEM-FACÇÃO, ficando sem lar, sem família e por regra/lei sua antiga facção não pode aceitar você de volta.

Tris acaba conhecendo algumas pessoas dentro da Audácia que serão muito importantes para a história (Tori, Christina, Will, Peter, Al, ...) e um deles é Quatro. Ela o conhece bem no começo da iniciação e ao longo da trama pode-se perceber o quanto os dois se aproximam e ajudam um ao outro, com cumplicidade empatia e doando-se quando necessário (assim como a abnegação ensinou).

A reviravolta acontece após a fase final da iniciação da Audácia, todos aqueles não divergentes são controlados através do último soro da fase final. E quem controla isso? A Erudição, a Jeanine Mathews. Por quê? Porque ela quer tirar a Abnegação do poder e pretendem fazer isso matando todos os líderes e pessoas da Abnegação, acabando com a facção. Porém esse soro com o controlador não afeta os Divergentes, ou seja, não afeta nem Tris e nem o Quatro, eles sabendo disso tentam se salvar, mas acabam sendo descobertos por Jeanine que os separa e nessa separação, muitas pessoas importantes para a história morrem e até o reencontro dos dois acontece muita coisa.

" - Há décadas, nossos antepassados perceberam que a culpa por um mundo em guerra não poderia ser atribuída à ideologia política, à crença religiosa, à raça ou ao nacionalismo. Eles concluíram, no entanto, que a culpa estava na personalidade humana, na inclinação humana para o mal, seja qual for a sua forma. Dividiram-se em facções que procuravam erradicar essas qualidades que acreditavam ser responsáveis pela desordem no mundo.
Os que culpavam a agressividade formaram a Amizade
Os que culpavam a ignorância se tornaram a Erudição
Os que culpavam a duplicidade fundaram a Franqueza
Os que culpavam o egoísmo geraram a Abnegação
E os que culpavam a covardia se juntaram à Audácia
Trabalhando juntas, as cinco facções têm vivido em paz há anos, cada uma contribuindo com um diferente setor da sociedade. A Abnegação supriu nossa demanda por líderes altruístas no governo; a Franqueza providenciou líderes confiáveis e seguros no setor judiciário; a Erudição nos forneceu professores e pesquisadores inteligentes; a Amizade nos deu conselheiros e zeladores compreensivos; e a Audácia se encarrega de nossa proteção contra ameaças tanto internas quanto externas. Mas o alcance de cada facção não se limita a essas áreas. Oferecemos uns aos outros muito mais do que pode ser expressado em palavras. Em nossas facções, encontramos sentido, encontramos propósito, encontramos vida. Longe delas, não sobreviveríamos." (DIVERGENTE. Capítulo 5. Páginas 48, 49 e 50)
 Filme
Em relação ao filme, ele não decepcionou. Para um filme de aproximadamente 2h10 explicou muita coisa, porém outras ficaram em haver e algumas partes foram modificadas. Mas é assim mesmo com toda adaptação literária. Logo nos primeiros momentos do filme, Tris explica direitinho ao espectador que, em um futuro não muito distante, a cidade de Chicago está destruída e os moradores foram separados em facções, de acordo com suas qualidades e escolhas. Como ocorreu essa separação? Ninguém protestou no início? O que havia antes da divisão? Por que estas cinco facções, e não outras? O sistema de divisão dá conta de profissões como agricultores (Amizade), advogados (Erudição) e guardas (Audácia), mas onde ficam os médicos, os artistas? O que fazem aqueles da Franqueza? Não se sabe, mas o livro explica isso. Para quem não leu fica meio difícil interpretar o que acontece.

O filme trata mais de perto a evolução da Tris e seu treinamento na Audácia, o ritmo é bom e convincente e a atriz, Shailene Woodley, soube ser excepcional e interpretar muito bem esse complexo papel.
Divergente - Foto
Kate Winslet é a vilã da história, Jeanine, pode ser comparada a uma Hitler feminina. Interpreta o papel com uma perfeição sem igual, assim como imaginei no livro, porém o diretor poderia ter focado mais na maldade dela, rsrs. Já Theo James que eu achei que seria sem graça para o papel de Quatro soube interpretar bem, não foi ruim.

Como um todo o filme não deixou a desejar, partes que o diretor do filme poderia dar mais suspense - como o resultado da fase final do treinamento da audácia - mas para quem não leu o livro vale a pena assistir sim o filme, que promete muita cena de ação e muitas reviravoltas de tirar o fôlego.

Símbolo das facções e o que elas representam
Audácia
Acreditamos na liberdade do medo, em atos ordinários de bravura, na defesa daqueles que não podem se defender.

Erudição
O conhecimento é a única solução lógica para o conflito. A inteligência deve ser usada para o benefício da sociedade.

Amizade
Confiança, a auto-suficiência, o perdão, a bondade.
Abnegação
Eu vou ser minha perdição se eu me tornar minha obsessão.

Franqueza
Desonestidade faz o mal possível. A verdade nos torna inextricável.
É isso aí, desculpe pelo post imenso, mas só assim para falar sobre esse livro sem igual. Não quero fazer comparações com Jogos Vorazes, pois são livros diferentes, com temáticas diferentes. Mas vale a leitura de ambas as trilogas.
Um beijo~! 

2 comentários:

  1. O quanto eu amo essa trilogia, não tá descrito... hahahaha
    Ótima resenha!
    Um beijo
    ilov3books.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente perfeita né! O filme não decepcionou tanto, pegou apenas alguns pontos do livro acredito que tenha faltado algumas informações.

      Excluir

© Tudo que Motiva - 2014. Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.