7 de jun de 2014

A Culpa é das Estrelas (2014)

Assisti ao filme ontem (sexta-feira) e logo que cheguei em casa, fui logo para o computador contar para vocês como foi minha experiência assistindo ao filme mais aguardado do ano. 

A sala de cinema não estava tão cheia, tinha muito mais mulher que homem. Durante o filme só ouvia fungada (de pessoas chorando). Fui com mais duas amigas, uma delas começou a chorar logo no começo, imagina só a cara das pessoas saindo do cinema né. Tudo inchada e com olhos vermelhos. Não levei uma caixa de lenço porque esqueci, deveria ter levado. #ficadica

LIVRO
Acredito que boa parte das pessoas que estão lendo o blog já ouviram falar ou leram o livro. Mas basicamente o livro conta a história da Hazel Grace, uma jovem que tem câncer de tireoide, mas que evoluiu e afeta seus pulmões, tendo que usar um tubo de oxigênio para o o resto da vida, afim de auxiliar a respiração. Ela sobrevive graças ao uso de uma droga experimental. Algumas vezes o pulmão acaba retendo liquido, causando falta de ar e ela indo parar na UTI para a retirada desse liquido e por mais que Hazel não goste, isso acontece com frequência. 

Hazel é persuadida pelos seus pais, após muitas tentativas, a frequentar o grupo de apoio às pessoas com câncer. Em uma das vezes que vai ao grupo, ela conhece Augustus Waters (Gus). Ele teve câncer, há 14 meses, está em remissão. Gus se apaixona por Hazel no momento que a vê e convida-a para ir à sua casa assistir a um filme. Ele não se importa de Hazel ter câncer e estar prestes a morrer a qualquer momento, ele quer estar perto, quer apoiá-la em todos os momentos de sua vida. 

Gus foi até o grupo de apoio para acompanhar seu amigo Isaac, que tem câncer ocular. Por esse motivo ele havia extraído um olho quando criança e em breve tiraria o outro, portanto ficaria cego. Isaac tem uma namorada (Mônica) cujo o lema deles é dizer "SEMPRE", que sempre amariam um ao outro e nunca se separariam. Bom, eles terminam um dia antes do Isaac fazer a cirurgia para retirada do olho. Por que eu estou contando isso? Bem, em uma das conversas entre Hazel e Gus eles descobrem o lema deles que é o mais famoso OKAY.

Eles acabam trocando confidências e ideias, assim como gostos por livros. Hazel apresenta a Gus um livro "Uma Aflição Imperial", devido esse livro eles começam a trocar ideias a respeito de viajar e conhecer o autor do livro e criam um lindo vínculo de amizade que se desenrola ao longo do livro. 
Existe uma instituição que proporciona um desejo para crianças necessitadas e Gus até o presente momento não usou esse desejo. E agora ele quer fazer, ele quer ir até Amsterdã (onde vive o autor do livro que eles são fãs) com Hazel e realizar assim o grande sonho dela. Nessa viagem é que o amor acontece e Hazel se apaixona de uma vez por todas pelo fofo Gus. 
Talvez OKAY seja nosso SEMPRE
FILME
Preciso começar dizendo que o filme é bem fiel ao livro. É a prova nas telonas que uma adaptação literária quando bem feita pode ser perfeita e atrair muito melhor. Mesmo o diretor não tendo muita experiência no cinema, ele conseguiu lidar muito bem com a grande pressão que estava sobre ele, que era fazer um filme de qualidade superior e agradar a todos os fãs. 

Algumas partes foram alteradas para fazer um pouco mais de sentido, mas mesmo com essas pequenas mudanças a essência do filme manteve a mesma. Como no momento em que vão para Amsterdã, ao invés de Hazel ir até a casa de Gus, Gus vai até a cada de Hazel em grande estilo.
Peter Von Houten, foi grosseiro e frio, mas não tão cruel quanto o livro. No livro ele humilhou muito mais e realmente deixou-os com raiva, no filme foi tranquilo.

A visita à casa de Anne Frank foi linda e a cada passo subindo as escadas meu coração disparava, eu já sabia que tudo ia dar certo, mas poxa é emocionante! As partes engraçadas aconteceram na medida certa, como por exemplo na vingança dos três amigos (Hazel, Gus e Isaac) contra a ex namorada de Isaac, quando decidem jogar ovos na casa e carro de Mônica. 
Shailene Woodley atuou perfeitamente bem. Ela virou a nova queridinha de todas. As expressões faciais, o jeito dela, a atuação é sem igual. Ela incorpora muito bem o personagem. Ansel Elgort atuou com desenvoltura e com o jeito cafajeste do livro, com a metáfora do cigarro, suas sábias palavras quando estavam no balanço no quintal da casa de Hazel.

Desculpe se escrevi demais, foi uma resenha na empolgação. Gostei demais do filme, um dos melhores até agora.  Tentei fazer o máximo sem dar muitos spoilers, espero ter conseguido.
Não sou formada em matemática, mas sei de uma coisa: existe uma quantidade infinita de números entre 0 e 1. Tem o 0,1 e o 0,12 e o 0,112 e uma infinidade de outros. Obviamente, existe um conjunto ainda maior entre o 0 e o 2, ou entre o 0 e o 1 milhão. Alguns infinitos são maiores que outros… Há dias, muitos deles, em que fico zangada com o tamanho do meu conjunto ilimitado. Eu queria mais números do que provavelmente vou ter.…
Já assistiram ao filme? O que acharam?

8 comentários:

  1. Awn ,estou rindo até agora em relação de todos chorarem no cinema kkkk .Sou louca pelo livro ,mas não sou tanto assim .Mas tenho que admiti ,que quando assistir o trailer ,pensei que era melhor do que o livro .Pelos 2 minutos que assistir ,realmente me apaixonei e me emocionei no trailer .Estou ansiosa para assistir e espero me preparar emocionalmente ao assistir kkk .Amei o post .E estou apaixonada pelo seu blog .
    Beijos e sucesso querida .
    http://chuvaelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca vi tanta gente chorando por um filme. Foi realmente uma experiência única. Vai preparada que você vai se emocionar!

      Excluir
  2. Amei o post! Quero muuuuuito ver esse filme, já sei que vou chorar ahahah
    Parabéns pelo blog, é um amor, vou já seguir! <3

    Beijo <3

    http://prologuesepilogues.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, fico feliz! Assista e filme depois me conta o que achou! ^^

      Excluir
  3. Ainda não li o livro, nem assisti ao filme. Todos os meus amigos que estão indo assistir saem do cinema com a cara inchada de tanto chorar...hahaha
    Não sei se vou querer assistir esse filme no cinema, pois minha cara não fica das melhores depois de chorar horrores...

    Ótima resenha!
    Beijokas,
    http://minhacontracapa.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Garanto que a minha não ficou bonita, inchada e toda vermelha (a pessoa aqui é branca), imagina só né!
      Mas valeu a pena, me senti lendo o livro em alguns momentos. Bem fiel!

      Excluir
  4. Oi Rosana, tudo bem?

    Ainda não assisti ao filme, provavelmente só vá final de semana que vem, mas estou mega ansiosa!! Gostei muito do livro e fico muito feliz de ver as pessoas gostando e achando ele fiel ao livro. É muito gratificante quando isso acontece, mesmo com as pequenas mudanças, o filme não perde sua essência.

    Gostei muito da sua opinião!!

    Beijinhos,

    Rafaella Lima
    http://vamosfalarlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem gratificante mesmo, esse filme serviu de exemplo para todas as outras adaptações literárias. Todas podem ser bem feitas quando a direção é bem dedicada. Vá assistir depois conta o que achou!

      Excluir

© Tudo que Motiva - 2014. Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.