27 de dez de 2014

[FILME] Jogando para sobreviver - Brian's song , 2001

Olá amados leitores. Chegamos ao último sábado de 2014. Devo dizer que adorei fazer parte da equipe do "Tudo que motiva", conhecer o Lissandro e a Rosana, e escrever para vocês. Outro dia, conversando no WhatsApp, Lissandro nos contou uma história que parecia de filme, mas era real: uma amiga sua havia falecido de câncer. Essa doença realmente me assusta, e foi então que escolhi o último filme desse ano para resenhar: "Jogando para sobreviver" conta a história de dois jogadores de futebol americano, não foi muito divulgado aqui no Brasil obrigada Netflix  e é impossível não se emocionar.
.Meados dos anos 60. Gale Sayers acaba de ser contratado para jogar pelo Chicago Bears. Embora disputem a mesma posição no time de futebolamericano, logo Sayers e Brian Piccolo se tornamamigos. Tão amigos que, quando Sayers sofre uma grave lesão, Piccolo o ajuda na recuperação até sua volta triunfal aos campos. Mas, por uma triste ironia do destino, tempos depois Piccolo descobre que está com uma doença fatal. E é a vez de Sayers ajudar o amigo a enfrentar uma dolorosa batalha contra a doença.
A primeira vista, parece ser mais um daqueles filmes de superação de atletas americanos. Mas com o desenrolar da trama, a história te envolve e não tem como sentir os minutos passando.  Os anos 60 é o ambiente em que tudo acontece e gostei bastante da caracterização e costumes da época, tudo muito bem retratado. Gale e Brian disputam a mesma posição, e é impossível não dar algumas risadas com a implicância que acontece. Brian, falante e convencido. Gale fechado, calado e certo de que há preconceito contra os negros. Os dois são opostos, mas a implicância dá lugar a uma amizade que começa quando Gale sofre uma lesão. Brian o ajuda, e até ali, por não ter lido nada sobre o filme, achei que fosse uma história de amizade. E até é, de certo ponto, mas quando Brian descobre que tem câncer e a luta que começa a travar para sobreviver me faz pensar que muito além da amizade, o filme fala sobre a vida.

 

Além da amizade dos dois, o filme também apresenta os altos e baixos na carreira de jogador de futebol americano, as respectivas famílias e esposas dos dois, e os acontecimentos dos anos 60. Tenho que dizer que chorei litros, óbvio! Primeiro porque não esperava por um filme tão emocionante e segundo porque as atuações são maravilhosas. O Gale passa tanto o seu lado fechado, quanto desmorona quando seu amigo está enfrentando a situação. A esposa de Brian também sempre ao lado dele, e principalmente Sean, que interpreta Brian. Ele mandou muito bem, e teve uma virada do personagem que foi surpreendente.
Descobri que teve uma adaptação em 1971 e acho, não lembro se apareceu nos créditos, que é uma história real. O que mexeu comigo também eram as condições para o portador da doença em 1960, a medicina não era tão avançada, os aparatos também não... Enfim, escolhi o filme para deixar uma mensagem bonita de amor, amizade e luta pela vida nesse fim de ano. E se optarem por assistir, não vão se arrepender, só preparem os lenços. Deixo o trailer, como de costume, mas não consegui legendado e votos de que em 2015, façamos tudo que não conseguimos realizar, mas sem promessas vazias de início de ano, com muita vontade de viver, de arriscar... de ser feliz!


Besos e até semana que vem... em 2015, olha o clichê! hahaha

8 comentários:

  1. Olá Juliana!

    Não conhecia o filme. mas pareceu uma história inspiradora para começar bem o ano, com metas novas e muita vontade de realizações. Dica anotada aqui.
    Abraços

    estantejovem.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Paulo!
      Se assistir, me conta.
      Beijos

      Excluir
  2. Uow, não conhecia ainda o filme, mas adorei a resenha! Ele vai muito além de superação, pelo visto fala principalmente da amizade, e dos altos e baixos que a vida nos leva. Bem interessante e reflexivo

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br
    Já conhece os multi talentos? Vem conferir!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem reflexivo mesmo, Carol.
      É um filme que apesar não muito divulgado aqui, vale a pena.
      Beijinhos

      Excluir
  3. Oiee, tudo bem?

    Adoro filmes ou livros que falam sobre superação e contem uma história bacana sobre amizade. Mas realmente eu não sou muito de cinema, não consigo arranjar tempo de ver um filme =(

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, Kel! Eu sofri com a monografia por isso: não ter tempo para filmes.
      Gosto muito hahaha

      Excluir
  4. Netflix é puro amor mesmo hihi Enfim, gosto de histórias de superação. Se não muito exagerados, podem ser muuito bons. Ótima resenha e indicação!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também não gosto das que apelam muito.
      Netflix é vidaaaa! rs

      Excluir

© Tudo que Motiva - 2014. Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.