24 de jan de 2015

Lola Versus, 2012

Olá amados! Do mesmo diretor de "500 dias com ela", a resenha de hoje é do filme "Lola versus", ou "Lola contra o mundo" segundo a tradução. Descobri pelo NetFlix, e fiquei muito contente com a descoberta. O longa pode parecer clichê, porém da metade do filme para lá, a gente percebe que Lola não vem com esteriótipos. É um filme que fala sobre amadurecimento, conflitos no amor, na amizade e a descoberta do eu interior. 
Lola tem 29 anos e está prestes a se casar com Luke. No entanto, três semanas antes de seu casamento, Luke termina tudo, o que deixa Lola devastada. Agora, ela deve se reerguer e partir em busca de sua felicidade, mas isso não será nada fácil.
Sabe aquela fase da vida que tudo tem que estar encaixado? Profissão, relacionamentos, família, casa? Lola se encontra nessa fase, prestes a fazer 30 anos tudo parece perfeito. O único namorado que teve, desde a época do colégio, Luke, a pede em casamento, ela está preparando o mestrado em Literatura, tem dois amigos confidentes e pais que são bons ouvintes e conselheiros. Porém, um dia as coisas começam a mudar. Luke termina tudo e Lola cai em uma depressão profunda. Nesse ponto, qualquer um pode se identificar, quem nunca sofreu por amor? 
"Meu mundo está despedaçãdo e eu estou comendo."
A loirinha então, passa a tentar viver sob o que restou. Se envolve com o melhor amigo, também conhece um cara estranho em uma loja, volta a sair e realmente parece desajustada. Quando digo que o filme parece clichê, mas não é, é por conta desses pontos em que supomos o que vai acontecer, como ela ficar com o amigo, e na verdade não ser bem como pensamos. O ex-noivo Luke que até começa um relacionamento, mas também não sai de cima, é um diferencial, pois foge um pouco da história das "que foram abandonadas completamente". Dá para notar que a pressão com o casamento (apesar dele ter proposto) o deixou nervoso e o fato de terem mil anos de relacionamento também. Fiquei muito na dúvida com o personagem. Ora eu queria que ele se resolvesse e eles voltassem, e ora que ficasse bem longe dela.
“Eu sei que a mudança é inevitável, mas se eu não quiser que as coisas mudem? E se eu gostar da minha vida do jeito que ela é?”
O QUE EU ACHEI: "Lola" é um filme leve, que trata de amadurecimento, através daquelas fases que a vida têm que tudo foge do eixo. Foi ótimo acompanhar as loucuras da personagem principal, e sinceramente gostei muito do final. É errando que se aprende. Lola "chuta o balde" após sair da depressão, fica com um, com dois, briga com a melhor amiga, precisa dos conselhos dos pais, que diga-se de passagem, são meio hippies mas sábios, passa por situações constrangedoras, mas ouvi-la dizer que está comprometida consigo mesmo é o grande ponto do filme.  Indico muito! Deixo o trailer como de costume, e se alguém já assistiu, se manifeste rs
Besos e até semana que vem!
Lançamento: 2012
Duração: 95 min.
De: Daryl Wein
Com: Greta Gerwig, Zoe Lister Jones, Joel Kinnaman, Debra Winger
Bill Pullman
Hamish Linklater

2 comentários:

  1. Oie!

    Assisti esse filme pelo Netflix também há pouco tempo, e achei bem mediano. O ponto alto realmente é o momento em que a Lola rejeita retomar o relacionamento com seu noivo por estar "comprometida com ela mesma", mas achei que a forma como tudo se desenrolou poderia ter sido melhor explorada pelo roteirista, mostrando mais dessa transformação de pensamento da Lola. Pra mim foi tudo muito rápido - e uma mudança dessas não acontece da noite para o dia!

    Enfim, é um bom filme pra quando dá aquela ressaca de filmes ou livros muito pesados hehe

    Beijos!
    Ana,
    Blog| Loja

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade! É como se o que mais esperávamos no filme fosse feito através de um passagem de tempo, porque ela amadurecer não foi um processo rápido.
      Beijos

      Excluir

© Tudo que Motiva - 2014. Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.