26 de mar de 2015

Devoted, Hilary Duff e Alise Allen

Título: Devoted
Autoras: Hilary Duff e Elise Allen
Edição: 1
Editora: iD
ISBN: 9788516080389
Ano: 2012
Páginas: 317
Tradutor: Otávio Albuquerque

Sage é minha alma gêmea. Nós nos amamos há muitas vidas, mas tudo sempre acaba de maneira trágica… Desta vez, no que depender de mim, será diferente.
Ele é imortal, e carrega o Elixir em suas veias. Foi arrancado de mim, mas tenho certeza que ainda está bem… por enquanto.
Ben, meu grande amigo, vai me ajudar a encontrá-lo, mas para isso teremos de nos aliar à Vingança Maldita. Será mesmo a coisa certa a fazer? Ou será que estou apenas selando novamente nosso destino trágico? Sou Clea Raymond, e vou lutar pelo meu amor com devoção.

 Leia a resenha do primeiro livro da série - Elixir

E aí pessoal, tudo bem? Hoje trago a resenha do segundo livro da trilogia Elixir e posso ir adiantando: que livro maravilhoso!

Em Elixir, primeiro livro, conhecemos Clea e Sage, um casal separado pelas circunstâncias da vida, ou melhor, pela a maldição do elixir da vida eterna. Ela busca entender por que um homem misterioso aparece em suas fotos e em seus sonhos, e claro, ela encontra suas respostas. Isso só no primeiro livro.

O segundo livro é emocionante, e posso dizer que foi melhor que o primeiro.
Há dois grupos de pessoas intituladas "Os Redentores da Vida Eterna" e o "Vingança Maldita" que querem o elixir, e são capazes de fazer qualquer coisa para consegui-lo. Sage foi capturado pelos  "Os Redentores da Vida Eterna"  e Clea passa maior parte do tempo se lamentando. Suas lamentações me lembrou da Tris de Divergente. Mas não tive vontade de bater nela. (Chupa, Tris)


No primeiro livro sabemos que o elixir da vida eterna foi destruído pelo próprio Sage, fora o que ele foi obrigado a beber. Mas em Devoted descobrimos que existem outras pessoas como Sage, ou pelo menos fora como ele. Novos personagens surgem na trama, consciências humanas que um dia foram imortais. No começo não entendia coisa alguma até que fosse explicado por Amélia, uma pequena garotinha de sete anos mortais e mais de dois mil anos imortais.
- Papai, o que acontece quando a gente morre? - perguntei.
Ele soltou um suspiro e depois me pegou no colo.
- Fisiologicamente? Você simplesmente... para.
O avô de Amélia encontrou o elixir em um deserto, quando um pássaro caiu (quase morto) em uma poça de um líquido estranho, ele não entendia como aconteceu, mas o pássaro logo em seguida estava novinho em folha voltando a bater as asas. Ele por sua vez, levou um pouco daquele líquido para sua casa e lá a pequena Amélia tomou sem saber das consequências.


O avô, o pai e a mãe de Amélia acabaram tomando o elixir para não deixá-la passar a vida eterna sozinha. Com o passar dos milênios o elixir foi perdendo o efeito, eles não morreram, mas seus corpos estavam ficando fracos e aos poucos perdendo os movimentos de cada membro. A única solução que encontraram para não passar a vida eterna paralisados foi treinar suas mentes. Isso mesmo, o livro entrou no clima de X-Men (eu adorei). Eles passaram os últimos momentos em seus corpos preparando caixões de vidro para guarda-los e treinando suas mentes. Então eles passaram de ser humanos de carne e osso imortais para apenas consciências capazes de mover objetos e fazer coisas magníficas com a mente.

O avô de Amélia continua sua busca pela cura da paralisia, eles querem voltar para seus corpos, mas para isso precisaria de mais elixir. Mas o elixir que ainda existe está nas veias de Sage. (Ai que a parada fica boa mesmo).
Na vida real, pessoas são só pessoas, e não merecem confiança.
Clea e seu melhor amigo, Ben, continuam na busca por Sage. E eles acabam se aliando com os Vingança Maldita, grupo formado há quinhentos anos por três rapazes que obrigaram Sage a tomar o elixir. Graças a isso, todo dessedente deste grupo  nunca passou dos trintas anos, era a maldição jogada sobre eles, uma praga para ser mais exato. Assim como Os Redentores Da Vida Eterna, eles querem acabar com elixir a qualquer custo. Clea sabe que não é uma parceria muito confiável, mas é a única chance que tem de encontrá-lo sem ser morta pelos capangas dos Redentores.
Eu estava certa desde o começo - almas gêmeas são coisas de contos de fadas.
 O livro é narrado por Clea e Amélia. Amélia conta como tudo começou com o elixir e como se aliaram aos Os Redentores Da Vida Eterna. Diferente do restante da família, Amélia não quer fazer o mal a Sage, sua mãe, Petra, acaba que virando uma megera para conseguir o que quer, mesmo que isso curte o amor de sua filha.

O que achei: Achei o livro lacrador mesmo, viu. Hilary Duff me surpreendeu muito, o final foi surpreendente e estou super animado para ler a continuação. Vale muito a pena dar uma chance para os livros dela, pelo menos o primeiro e segundo livro foram um melhor que o outro. Não vejo a hora de ler e resenhar True.
Acompanhe o blog nas redes
Instagram ♦ Twitter ♦ Facebook ♦ Skoob ♦ Google+ ♦ Filmow

4 comentários:

  1. Eu vi o primeiro livro da série em alguma revista um tempo atrás, mas não dei muita bola para ele hahaha tomei na cara agora, pois a estória parecer ser muito legal mesmo. Hilary é uma artista completona haha Canta, atua e ainda escreve. Imortalidade ligada à alguma maldição eu curto demais, Fallen ta aí pra provar; mesmo não sendo a melhor saga do mundo, eu adooro porque envolve anjos imortais *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fallen foi minha primeira saga lida e concluída. Ahhh sou fâ da série desde que foi lançado o primeiro livro aqui no Brasil, ou seja, muito tempo atrás kkk

      Excluir
  2. Olá Lissandro!!
    Eu já tinha lido a resenha do primeiro livro e já tinha me interessado muito, não sabia que já tinha continuação!!
    Infelizmente vou ter que esperar para comprá-los, porque já gastei muito com livros esse mês!
    Abraços
    www.estantedepapel.com

    ResponderExcluir

© Tudo que Motiva - 2014. Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.