11 de set de 2015

Sejamos todos feministas - Chimamanda Ngozi Adichie

Oi pessoal,

Um assunto muito recorrente ultimamente é o feminismo, bom eu não vim aqui escrever um longo texto sobre o que é ou não ser feminista, mas sim compartilhar e refletir sobre um texto incrível que trata desse assunto de uma forma simples mas muito completa do que é ser feminista, como a sociedade vê o papel da mulher e até mesmo como a mulher vê seu próprio papel na sociedade. O meu ponto aqui é divulgar um conteúdo que eu acredito ser interessante e do qual eu compartilho muitas opiniões semelhantes.

Título Original: We Should All Be Feminists
Título: Sejamos todos feministas
Autor(a): Chimamanda Ngozi Adichie
ISBN: 9788543801728
Ano: 2014
Páginas: 46
Editora: Companhia das Letras
Nota:  5/5
Adicione: Skoob
Compre: Amazon | Americanas | Cultura | Saraiva | Submarino
Baixe o e-book grátis: Amazon | Cultura | Saraiva

O que significa ser feminista no século XXI? Por que o feminismo é essencial para libertar homens e mulheres? Eis as questões que estão no cerne de Sejamos todos feministas, ensaio da premiada autora de Americanah e Meio sol amarelo."A questão de gênero é importante em qualquer canto do mundo. É importante que comecemos a planejar e sonhar um mundo diferente. Um mundo mais justo. Um mundo de homens mais felizes e mulheres mais felizes, mais autênticos consigo mesmos. E é assim que devemos começar: precisamos criar nossas filhas de uma maneira diferente. Também precisamos criar nossos filhos de uma maneira diferente."Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente da primeira vez em que a chamaram de feminista. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: Você apoia o terrorismo!. Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e em resposta àqueles que lhe diziam que feministas são infelizes porque nunca se casaram, que são anti-africanas, que odeiam homens e maquiagem começou a se intitular uma feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens.Neste ensaio agudo, sagaz e revelador, Adichie parte de sua experiência pessoal de mulher e nigeriana para pensar o que ainda precisa ser feito de modo que as meninas não anulem mais sua personalidade para ser como esperam que sejam, e os meninos se sintam livres para crescer sem ter que se enquadrar nos estereótipos de masculinidade. Sejamos todos feministas é uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDx Euston, que conta com mais de 1 milhão de visualizações e foi musicado por Beyoncé.

Esse discurso da autora foi feito em uma palestra em 2012, essa conferência anual tem o foco na África, e ao ser convidada como palestrante, Chimamanda resolveu escolher o tema feminismo, por se tratar de um tema pouco debatido e que é limitado com muitos estereótipos. Com um diálogo inteligente a autora abre nossos olhos para as mudanças que são necessárias na sociedade em relação a igualdade entre homens e mulheres.

"A cultura não faz as pessoas. As pessoas fazem a cultura. Se uma humanidade inteira de mulheres não faz parte da nossa cultura, então temos que mudar nossa cultura."
É uma ótima introdução ao tema que requer muita pesquisa antes de ser debatido, vemos muitas mulheres extremistas deturpando a verdadeira essência do que é ser feminista, e esse texto resgata isso e nos dá uma visão do que realmente é o manifesto feminista, nada mais do que a busca pela igualdade entre homens e mulheres, e não uma corrida para provar qual gênero é melhor ou mais forte. A autora trata o tema de forma descontraída e discuta e importância de repensarmos hábitos e imposições culturais que meninos e meninas do mundo todo sofrem, é doloroso ver como a sociedade é evoluída em certos aspectos e em outros, parece que simplesmente paramos no tempo das cavernas.
"Aliás, aprender a cozinhar é bom para a vida prática e útil de um menino - nunca vi sentido em deixar na mão de terceiros uma coisa tão crucial como a capacidade de se nutrir."
Acredito que o discurso da autora pode ser um dos pontos de partida para mudanças na sociedade, mudanças são difíceis e tomam tempo e muita paciência, mas acho que essas mudanças são possíveis, e começam pequenas e vão tomando proporções muito maiores. É natural temer tudo o que é novo e diferente, mas o ser humano tem a grande habilidade de se adaptar às diversidades. Ao meu ver o intuito da autora com esse discurso não é impor nenhuma ideia ou algo do tipo, mas sim mostrar o outro lado da situação, e talvez plantar uma pequena semente dentro de cada ser humano para que possamos tornar o mundo um lugar melhor, não perfeito, pois a perfeição não existe, mas um mundo mais correto, pelo qual vale a pena lutar.

Esse é um livro pelo qual vale a pena reservar algumas horas do dia para ler e aprender, pode ser que o leitor não concorde com tudo, mas é quase impossível que em todas as páginas desse discurso não haja nada que seja compatível com o ponto de vista de alguém.
"Mas o que realmente conta é a nossa postura, a nossa mentalidade. E se criássemos nossas crianças ressaltando seus talentos, e não seu gênero? E se focássemos em seus interesses, sem considerar o gênero?."

Acompanhe o blog nas redes

2 comentários:

  1. Li e amei. Aliás essa resenha me lembrou que eu esqueci e fazer minha própria resenha desse livro.
    Mas, em minha própria defesa, eu estava viajando quando li e terminei em apenas um dia.
    Foi uma das minhas melhores leituras do ano passado!!

    Beijos
    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse livro é incrível, apesar de ter adorado, me arrependi de ler ele tão rápido kkkkk o tipo de livro que da vontade de começar a reler assim que termina!!!

      Excluir

© Tudo que Motiva - 2014. Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.