22 de out de 2015

2019 - O Ano da Extinção (Daybreakers), 2009

Olá pessoal, tudo bem?

No ano de 2019 a espécie humana já não é mais a espécie dominante, agora os humanos vivem fugindo, se escondendo, pois possuem algo muito desejado, sangue. Neste futuro não tão distante, humanos e vampiros buscam uma forma de coexistirem para sobreviverem, pois o risco de extinção para ambas espécies está cada vez maior. Confiram!


Em 2019 a espécie humana foi reduzida a apenas 5%, e o motivo? Um vírus que se espalhou em 2009 transformou uma grande parte da população em vampiros e os humanos sobreviventes tiveram que se esconder, fugir, sendo que apenas uma pequena parcela da população humana conseguiu este feito. 



A maioria tornou-se escrava, sendo mantidos em câmaras de coletas de sangue ou foram apenas mortas, tento seu sangue consumido até a última gota. Neste futuro a espécie humana se esconde, foge, para que não seja extinta e os vampiros consomem o sangue humano, que é uma fonte esgotável, como se não houvesse amanhã.




Neste futuro próximo uma empresa é responsável pela distribuição do sangue humano para os comércios, empresa esta dirigida pelo ambicioso vampiro Charles Bromley (Sam Neill). Nesta empresa o hematologista Edward Dalton (Ethan Hawke), que nunca quis ser um vampiro, trabalha em pesquisas para encontrar um substituto para o sangue humano, imaginando que assim as duas espécies conseguiram coexistir pacificamente.




O que Edward não sabe e vai descobrir, é que na verdade o substituto que ele vem desenvolvendo servirá apenas para que a espécie humana se reproduza, aumentando a população, para que num futuro não muito distante eles possam voltar a consumir sangue humano, pois a principal preocupação do momento é a crise de sangue, crise esta que está fazendo com que uma nova subespécie de vampiros se desenvolva. Os vampiros que ficam muito tempo sem se alimentar de sangue estão se desenvolvendo em espécies com aparência inumana, além de conseguirem se alimentar de sangue de vampiros, não apenas de humanos.




Neste meio tempo, Edward conhece um grupo de humanos que luta para encontrar a cura para o vampirismo. Elvis (Willem Dafoe) é um "ex-vampiro", que teve sua humanidade de volta após um incidente. Neste grupo também está Audrey Bennett (Claudia Karvan) que deposita em Edward toda sua confiança, além de um deputado vampiro muito influente que luta pela espécie humana e um grupo de sobreviventes entre os quais encontra-se Alison Bromley (Isabel Lucas), filha de Charles e que repudia a escolha e ambição de seu pai.


Neste cenário Edward tentará ajudar a espécie humana, tentando reproduzir o incidente que curou Elvis, e ainda terá que lidar com seu irmão militar e vampiro Frankie Dalton (Michael Dorman), que sob o comando de Charles, tentará impedi-lo de todas as formas possíveis.



Este filme me chamou a atenção por sua premissa, foi interessante pensar na ideia de a espécie humana possuir um concorrente a sua altura, uma espécie concorrente que levasse ela a sua extinção. Durante a exibição do filme percebemos a preocupação com os detalhes, mostrando que uma nova espécie dominava o mundo, por exemplo, as atividades do dia a dia eram realizadas no período noturno, os carros adaptados para viagens diurnas, os noticiários voltados para assuntos relacionados a falta de sangue, a incêndios causados devido aos vampiros caçarem na floresta, enfim uma infinidade de detalhes que contribuiu para a história.

Embora eu tenha gostado do enredo do filme, ele não foi perfeito, há muitos furos no roteiro, muitas poucas explicações e um final bonzinho. Na minha opinião eles poderiam ter economizado um pouco nas cenas de ação e se preocupado um pouco mais em explicar o porque das pessoas terem se transformado em vampiros, explorado um pouco mais sobre a nova subespécie, enfim, faltou algumas "coisinhas" para que o filme fosse ótimo.

Para quem já leu o livro Eu sou a Lenda, o livro, pois o filme apenas se baseou no livro, e mesmo assim o filme é muito bom também vai perceber semelhanças na história, a diferença é que na sociedade apresentada no livro ocorre o caos, eles não são organizados, poderia ser até considerado o começo da epidemia.

2019 - O Ano da Extinção também nos traz uma reflexão sobre os bens esgotáveis que utilizamos como se eles fossem inesgotáveis, e a maneira com que tratamos as espécies que consideramos inferiores o que elas não são

Este é um filme legal, poderia ter sido desenvolvido de uma forma melhor, mas mesmo ele não sendo perfeito vale a pena conferir.
"Elvis Presley, uma vez disse: A verdade é como o sol. Você pode se esconder dela por um tempo, mas ela não irá embora."
Título Original: Daybreakers
Ano de Produção: 2009
Dirigido Por: Michael Spierig, Peter Spierig
Gênero: Terror, Ficção científica
Nota: 4/5



Acompanhe o blog nas redes
Instagram ♦ Twitter ♦ Facebook ♦ Google+

2 comentários:

  1. Olá, Mayla.
    A premissa do filme é bem interessante e promete. Como gosto de vampiros, acredito que iria curtir bastante assisti-lo. Além disso, isso de tentar buscar a cura e manter os humanos como estoque dá um ar de ficção científica de um modo meio bizarro.
    Gostei.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de outubro. Serão seis livros para três vencedores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você gosta deste universo "vampiresco" vale a pena assistir sim, mesmo o filme não atingindo todas as minhas expectativas, eu gostei. Assista e depois me conte o que achou.
      Abraço!

      Excluir

© Tudo que Motiva - 2014. Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.