16 de mar de 2016

Fingindo, Cora Carmack

Hi everybody. Hoje é dia de resenha literária. "Fingindo", da autora Cora Carmack tem tudo que gostamos: protagonistas marcantes, personagens secundários que contribuem para o bom andamento do enredo, uma narração daquelas e claro, muito amor.



Com seus cabelos cloridos, tatuagens e um namorado que combina com tudo isso, Max tem exatamente o estilo que seus pais mais desprezam… E eles nem sonham que a filha vive assim.Ela fica em apuros quando seus pais a visitam na faculdade e exigem conhecer o futuro genro. A solução que Max encontra para não ser desmascarada é pedir para um desconhecido se passar por seu namorado. Para Cade, a proposta veio em boa hora: é a chance que ele esperava para acabar com a sua fama de bom moço, que até hoje só serviu para atrapalhar sua vida.Um faz de conta com data marcada para terminar… E um casal por quem a gente vai adorar torcer. Fingindo vai seduzir você.

Eu não sabia, mas o livro faz parte de um série. O primeiro, "Perdendo-me" apresenta Cade e sua desilusão amorosa por Bliss, uma amiga. Nessa segunda parte, a história foca no personagem e na Max, Bliss aparece em alguns momentos como "amiga" do Cade. A série se encerra ainda, com "Encontrando-me". O que achei legal é que os três livros nos dão personagens que transitam pelas obras, mas não são continuações. Cada história é contada separadamente. Pois bem, como eu disse "Fingindo" trata do romance teatral vivido pelo Cade e pela louca da Mackenzie, que se aproxima dele em uma cafeteria  pedindo para ele ser seu namorado, por conta dos pais que estão chegando. Ele concorda, mas quando Cade desempenha o papel bem demais, eles ficam obrigados a continuar com a atuação. E quanto mais fingem, mais real começa a parecer.

Ela parecia a versão nervosa de uma pin-up dos anos 50. Ela era completamente o oposto de qualquer garota que eu já tinha namorado ou pensamento sobre o namoro. Ela era o oposto completo de Bliss. Talvez essa fosse parte da razão pela qual eu não conseguia tirar meus olhos dela.
Meu nome é Cade Winston, estudante da MFA, voluntário, abraçador de mãe e seu namorado pelas próximas 24 horas. Prazer em conhecê-la.

Mas, se engana quem pensa que o livro trata de duas pessoas diferentes que se conhecem e depois de uma bela atuação resolvem ficar juntos. Por trás da química excelente dos protagonistas e do bom humor contido nas entrelinhas, Cora Camarck aborda assuntos muito sérios, como família e careira.  Mick e Betty, ou Sr. e Sra. Miller, os pais da Max, são extremamente conservadores a ponto da moça esconder suas tatuagens ao encontrá-los. Claro que após algumas explicações, como o fato de terem uma filha falecida, entendemos e aceitamos o porquê deles serem assim. Cade ajuda Max a se impor e ganhar a confiança e respeito dos pais ao ser ela mesma, e ela o ajuda a esquecer a Bliss. Os dois têm problemas emocionais que precisam ser resolvidos, e quando tudo parece se ajeitar, Max encana com questões que poderiam acontecer entre os dois e se afasta.




"Não vai ser fácil", ele disse. Eufemismo do ano. "Mas seus pais amam você, Max." Eu ri, mesmo que não fosse nada engraçado. Minha garganta estava cheia de emoção. Ele levantou uma mão e tirou as minhas de meus olhos. "E se eles não podem ver o quão incrível você é, eles são cegos."

E foi nesse ponto que pude enxergar o quanto humanos e intensos são os personagens da Cora. As indagações da Max após alguns dias fingindo um romance com um cara que nunca viu na vida são pertinentes, são reais. Max tentou por vários anos preencher o espaço que Alex, sua irmã, deixou. Tentou, tentou e não conseguiu. Isso influencia todas as relações que ela tem, e com o Cade tudo se torna diferente. O atual namorado da jovem, que participa de uma banda com ela, logo perde o lugar e a sensualidade para alguém que a escuta, e devo dizer que os diálogos entre o casal principal são recheados de sarcasmo e questionamentos sobre a vida. Você não sente as páginas passarem.
"Você não vê o que eu sou? O que eu causo? Eu sou veneno.”
A expressão dele se tornou furiosa, “Você não é veneno, Max.”
Eu balancei minha cabeça, e odiava que eu estava lutando para não chorar de novo.
“Eu sou. Eu estrago tudo de bom em minha vida. Tudo apodrece em volta de mim, e poderá ser exatamente o mesmo com você.
Além dos pais dela e Bliss e o noivo também temos o amigo de Cade, que é uma figura e os meninos da banda, incluindo o atual ex da Max, Mase. A narração é em primeira pessoa, intercalada entre Max e Cade. No momento exato eles trocam a vez e é possível enxergar muito bem os dois lados. Essa narração intercalada faz com que nos aproximemos mais ainda dos personagens. A diagramação da obra é excelente e a capa bem condizente. Porque apesar de todas as questões emocionais o livro tem momentos hots sim. Não é meu gênero favorito e tem muitos hots que eu simplesmente não consigo ler, mas gostei muito de Fingindo e digo que ele daria um ótimo filme! Cade e Max são apaixonantes e a autora nos dá tudo na medida certa: amor, humor e ótima narração.

Besos!

Título: Fingindo
Título original: Faking it
Autor: Cora Camarck
Edição: 1ª
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581636665
Ano: 2015
Páginas: 336
SKOOB | Goodreads
Compre: Amazon - Saraiva - Americanas - Submarino

2 comentários:

  1. Quando eu li esse livro também não sabia que fazia parte de uma série kkkk
    Depois fui ler os outros dois e achei igualmente bons. Mas eu achei o primeiro mais engraçado e leve!

    Beijos

    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir

© Tudo que Motiva - 2014. Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.