[LIVRO] O fundo é apenas o começo, Neal Shusterman

 Olá pessoas, tudo bem?

"O fundo é apenas o começo" é o primeiro livro que li do autor, apesar de ouvir falar muito bem de "O ceifador" resolvi dar a chance para esse que não é tão falado, mas tem uma nota muito alta no goodreads. Decidi fazer a leitura desse livro logo que descobri que seria lançado no Brasil e pensei que seria uma boa ler e fazer a resenha aqui no blog. E foi o que eu fiz ♥ 


Caden mora com os pais e a irmã mais nova, ele tem apenas 15 anos e parece viver em constante paranóia. Ele gosta de desenhar, apesar de muitas vezes os desenhos não fazerem sentido em sua cabeça. Ele é um adolescente normal para a sua idade, gosta de ir à escola, de convesar com os amigos e de pensar na vida. O problema é quando esses pensamentos começam a tomar conta da sua vida e se tornar um problema. 

Caden tem certeza que alguém em sua escola quer machucá-lo, quer dizer, ninguém nunca falou nada para ele, e ninugém nunca chegou perto dele à ponto de prejudicá-lo. No entanto, alguma coisa lá no fundo está certo de que algo está errado e que ele será morto na escola. Ele fala desse seu medo para os seus pais, que apesar de não acreditarem muito, eles ficam preocupados.
 

Caden tenta seguir com sua vida ao ponto de que as mentiras que vem contando para sustentar isso e, a partir de certo momento, passam a tomar conta dele e cada vez começa ir mais fundo nessa ideia, ao ponto de não conseguir sair mais. Ao ponto dele começar a confundir realidade e imaginação. Ao ponto de Caden ser hospitalizado. 

Vou dizer que o começo do livro me deixou meio confusa, mas acho que essa era a ideia que o autor queria nos passar. Pois a cabeça de alguém que sofre de esquizofrênia é essa bagunça de sentimentos, emoções, ilusões e problemas. Eu gostei da forma que o autor apresentou a doença, ele mostrou que não existe um diagnóstico correto, que não é um nome que vai definir o que a pessoa tem, nomes só servem para rotular e isso não é certo. Cada pessoa desenvolve a doença de uma forma diferente e rotular alguém só diminui a capacidade da própria pessoa de se curar e se libertar disso.
 

Outro ponto positivo é o fato do livro ter capítulos curtos, são 67 capítulos divididos em apenas 272 páginas. O autor conseguiu colocar um livro complexo, mas ao mesmo tempo muito rápido de ler em menos de 300 páginas. O livro é uma explosão de sentimentos, consegue te fazer rir, chorar, sentir raiva, ficar instigado e aproveitar uma leitura fascinante e cheia de ensinamentos. Aquela sensação de só mais um capítulo antes de dormir nunca fez tanto sentido.

"O fundo é apenas o começo" tem essa divisão de ser narrado em partes pela realidade, em partes pelo imaginário do Caden. Aos poucos o leitor entende quem é quem e o motivo dos personagens estarem ali naquela imaginação e o que eles representam. Ponto positivo pelo autor sempre mostrar que a família estava perto, sempre apoiando o filho e se preocupando. 


O livro também tem algumas ilustrações que foram feitas pelo filho do autor, que sofreu com a doença quando era mais novo. O livro é meio que um relato do autor, mas de certa forma ficcional. No final do livro é possível ler os próprios comentários do autor à respeito das inspirações e o que levou-o à escrever esse espetáculo de livro. 

Desculpe pela resenha gigante, mas quando o livro é bom a gente tem que divulgar. Recomendo demais a leitura, e se o livro parecer confuso no começo, pode ler com fé que logo você vai entender o que está acontecendo. Não lembro de ter lido nenhum livro que mostre a doença desse jeito e gostei demais de ter lido algo assim.

Challenger Deep
Neal Shusterman
Brendan Shusterman

ISBN-13: 9788558890625
ISBN-10: 8558890625
Ano: 2018
Páginas: 272
Editora: Valentina


*ESSE POST FAZ PARTE DO TOP COMENTARISTA DE MAIO/2018*

Acompanhe o blog nas redes sociais!
Instagram ♦ Twitter ♦ Facebook ♦ Skoob ♦ Goodreads

20 comentários:

  1. Ainda é uma doença tão desconhecida e acredito eu, que ainda seja um dilema muito grande a tantas famílias.
    Bom quando aparece um livro assim, que talvez possa ajudar mais pessoas a verem pequenos sinais do que pode estar acontecendo.
    Mesmo sendo ficção, a gente percebe no final da sua resenha, o que já era meio óbvio:tem partes reais.
    E isso é maravilhoso.
    Como não conhecia o livro, já vou mandar para a lista de desejados e espero ter a oportunidade de ler ele em breve.
    Mais que uma lição de vida, é também um aprendizado.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é muito mais do que parece, eu não esperava nada e até pensei em abandonar, mas AINDA BEM que insisti na leitura. Valeu muito a pena ♥

      Excluir
  2. Já ouvi falar e muito do autor e sempre bem mais ainda não tive a oportunidade de ler nenhuma de suas obras e ainda não conhecia esse livro, e achei bem bacana o fato de abordar a esquizofrenia, li apenas um livro que me lembro agora que aborda esse tema e o trata com naturalidade, apresentando ao leitor a realidade de quem passa por isso e destacando a participação da família, que é bem importante. Livros com capítulos curtos sempre me agradam e a narração dividida entre realidade e imaginário deve ser bem interessante. Curti a resenha e a dica de leitura, surgindo a oportunidade irei querer ler com certeza ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os capítulos curtos ajudam demais, facilita muito a leitura. O autor acertou muito com esse livro.

      Excluir
  3. Realmente, dá pra perceber que o Caden vive em constante paranóia, né?

    Embora, por outro ângulo, tudo poderia ser visto como algo merecedor de atenção.

    E, uau, é realmente um livro profundo por tratar essa questão da esquizofrenia.

    Agora, sei do que o livro se trata. 👍

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Constante paranóia :/ O livro é bem bom, viu!?

      Excluir
  4. Achei bem legal esse livro e pelo tema dele e como foi abordado tá parecendo bem legal. A doença é uma que é difícil de explicar, nem imagino como é passar por algo assim, a pessoa e as pessoas ao redor dela...
    Parece que o autor colocou bastante sentimento na trama e adorei isso. É um livro pequeno mas que parece emocionar. Gostei dele. Deu vontade de ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, o autor conseguiu fazer com que o leitor mergulhasse dentro do livro, a ponto de entender a doença e os personangens de uma forma simples.

      Excluir
  5. Uau... Não esperava essa enxurrada de sentimentos.
    Também não sabia que o autor era o mesmo de O ceifador, apesar de não ter lido nada dele.
    Esse livro está sendo bem visível no momento, mas é a primeira resenha que leio.
    Caramba, que resenha!! Confesso que o tema me deixa um pouco desconfortável, só que parece uma história tão intensa... Fico curiosa. Gosto muito de capítulos curtos, então é mais um ponto positivo.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas então, o autor consegue explicar o tema de uma forma tão simples que não fica pesado, sabe?! Por isso eu gostei tanto.

      Excluir
  6. Também já ouvi falar de "O Ceifador", apesar de não saber que esse livro é do mesmo autor! Já comecei gostando do livro por causa do protagonista, que é desenhista! Sua resenha me fez perceber que nunca li nenhuma obra que retratasse um protagonista esquizofrênico, e me fez querer, mais ainda lê-lo! Adoro ler livros que te fazem colocar no lugar de pessoas "assim", pois nos faz refletir sobre a vida e entender mais sobre as pessoas! Com certeza lerei!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não lembro de ter lido algo parecido e fico feliz que teha feito isso agora. Livros assim conseguem tirar o leitor da zona de conforto, mas ainda sim nos fazer entender e ter mais empatia.

      Excluir
  7. Nunca tinha ouvido falar sobre o livro , porém me deixou curiosa em lê-lo . Pois tenho histórico na família e com essa recomendação , talvez eu amplie minha forma de olhar para essa pessoa , com mais empatia .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, acho que esse tipo de leitura pode ajudar ♥

      Excluir
  8. Rosana!
    Não li nada do autor ainda, embora tenha lido várias resenhas de outros livros dele.
    Gostei de ver que os capítulos são curtos e que ele aborda a mente de uma pessoa com esquizofrenia.
    Gosto dos livros com temas que abordem doenças psicológicas e que nos façam refletir e aprender mais.
    Desejo um ótimo final de semana e um feliz dia da mães abençoado!
    “Moral é o que te faz sentir bem depois de tê-lo feito, e imoral o que te faz sentir mal.” (Ernest Hemingway)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA MAIO – 4 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dê uma chance para esse livro, acho que você não vai se arrepender. ♥

      Excluir
  9. Olá, eu gosto de livros que abordam algum tipo de patologia, pois além de absorver a trama como um todo, o leitor termina a leitura muito mais informado sobre a doença que é abordada. Faz tempo que quero ler O Ceifador desse autor, e já adicionar essa obra na lista também, uma vez que é interessante ler gêneros diferentes do mesmo autor. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o autor parece ser bem versátil nesse quesito. Quero muito ler O Ceifador também.

      Excluir
  10. Olá.
    Ainda não li nada do autor, mas vejo diversos comentários positivos sobre suas obras.
    O fundo é apenas o começo tem uma premissa muito interessante. Adoro histórias que abordam doenças ou algum tema pouco abordado e tabu na sociedade. Acho que esse tipo de leitura traz empatia e informação.
    Adorei saber que há algumas ilustrações feitas pelo filho do autor e notas.
    Já vai para a lista de desejados.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gosto desse tipo de narração e o autor fez um ótimo trabalho nesse livro.

      Excluir

Tecnologia do Blogger.