5 de mar de 2016

O Escafandro e a Borboleta, Jean-Dominique Bauby

Oláá pessoas, tudo bem? 

O livro de hoje foi uma leitura da Maratona Literária de Inverno de 2015 que participei ano passado. Aos poucos estou trazendo as resenhas, pois afinal, li bastante livro desde então e nem sempre estou inspirada para liberar algumas resenhas.

 ENFIM, o livro a ser tratado hoje é uma autobiografia de um jornalista  e editor chefe da revista Elle.  No dia 08 de Dezembro de 1995, ele sofreu um AVC e infelizmente, Bauby morreu dez dias depois, devido a uma agravante pneumonia. 



Há muito tempo assisti ao filme que foi adaptado desse livro, desde então a ideia de ler o livro ficou na minha cabeça até o momento que consegui ler. O livro chegou até mim por meio do Livro Viajante do Skoob e sem nem pensar duas vezes sentei e comecei a lê-lo. 

O livro trás sobre a história de Jean que após um terrível AVC (acidente vascular cerebral) entrou em coma profundo por 20 dias e após despertar, descobriu que estava sobre a "Locked-in Syndrome" ou "Síndrome do Encarceramento". Essa síndrome, basicamente, faz com que você não consiga se mexer e nem falar, a única parte do corpo que ele conseguia movimentar era o olho esquerdo e com a ajuda de uma fonoaudióloga, ele conseguiu dar um jeito de entrar em contato com o mundo novamente. Através desse olho e com as piscadas que ele conseguia dar, ele citou, letra por letra, o livro que está a ser resenhado aqui.

"Fui então invadido por estranha euforia. Não só estava exilado, paralisado, mudo, meio surdo, privado de todos os prazeres e reduzido a uma existência de medusa, como também estava horroroso de se ver."

Incrível né? Essa síndrome é uma rara condição, todos os movimentos são paralisados, mas as faculdades mentais se mantêm perfeitas. (Fonte). Acredito ser a primeira vez que um paciente que sofreu com essa síndrome conta para o mundo como é estar vivendo nessas condições e como é lidar com toda a situação.


Acredito que a sofrência é maior e o sentimento de impotência é absurdo, imagina não poder se virar na cama sozinho, não poder beber água quando se está com sede, não poder tomar banho. Enfim, não poder fazer nada sem pedir ajuda. 

O livro relata todos, todos os sentimentos que Jean teve, todas as alegrias e desilusões no meio do percurso. As lembranças de sua vida, antes de ser paralisado, todas as alegrias que ele chegou a ter. Todas as lembranças de que ele adorava viajar, aproveitar sua família, aproveitar a leitura de um bom livro. Apesar da linguagem meio rebuscada e algumas partes meio entediantes, o livro trás momentos muito impressionantes além de várias reflexões sobre a vida e sobre ao que realmente damos valor. Pensa que a vida de alguém que não pode se mover não deve ser cheia de grandes aventuras né?!

"Em geral, não me lembro dos sonhos. Em contato com o dia, perco o fio da meada, e as imagens se dissipam inexoravelmente. Então, por que aqueles sonhos de dezembro ficaram gravados em minha memória com a precisão de um raio laser? Talvez seja uma das regras do coma. Como não voltamos à realidade, os sonhos não têm tempo de se evaporar, mas vão-se aglomerando e acabam formando uma longa fantasmagoria de ricochetes, como capítulos de novela. Esta noite, um daqueles episódios acode à minha mente."

Um livro com certeza, triste, solitário e extremamente comovente. Ok, ok. O mundo está cheio de biografias tristes, mas sei que essa não é apenas mais uma para te dar um tapa na cara, é uma biografia para te ajudar a compreender as situações mais frágeis da vida e ao que estamos sujeitos a passar a qualquer momento. Eu realmente não consigo me imaginar no lugar dele, sério. Não sei o que eu faria e nem como as pessoas mais próximas de mim lidariam com isso. A leitura desse livro foi muito gratificante e recomendo para todos que estão precisando de um choque de realidade. 

Recomendo muitíssimo a leitura desse livro, sério! Não só por ser triste e te dar aqueles momentos de reflexão, mas por ser uma biografia extremamente interessante de ser lida. 


O escafandro já não oprime tanto, e o espírito pode vaguear como borboleta. Há tanta coisa para fazer. Pode-se voar pelo espaço ou pelo tempo, partir para a Terra do Fogo ou para a corte do rei Midas.

Título original: The Diving Bell and the Butterfly
Autor: Jean-Dominique Bauby
ISBN-13: 9788533606517
ISBN-10: 8533606516
Ano: 2007
Páginas: 142
Idioma: português 
Editora: Martins Fontes
Nota: 5/5

Não deixe de acompanhar o blog nas redes sociais! 
Instagram ♦ Twitter ♦ Facebook ♦ Skoob ♦ Google+ ♦ Goodreads

Um comentário:

  1. Fiquei impressionado com essa resenha. Não conhecia o livro e nem essa síndrome, então fiquei totalmente chocado com a premissa e com a força de vontade do protagonista.
    Com certeza quero ler a obra e entender mais sobre tudo o que aconteceu.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de reinauguração. Serão quatro vencedores!

    ResponderExcluir

© Tudo que Motiva - 2014. Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.