15 de jul de 2016

A Cadeira de Prata (As Crônicas de Nárnia) - C.S.Lewis

Oi pessoal,

Hoje é dia de resenhar o sexto e penúltimo livro das Crônicas de Nárnia, A Cadeira de Prata. A leitura desse livro foi muito rápida, e é uma pena que esteja acabando.


As resenhas para os livros anteriores estão aqui

Nesse livro vamos acompanhar Jill e Eustáquio, que agora não é mais o garoto chato de antes, que são levados a Nárnia para encontrar o príncipe Rilian, filho de Caspian X, que desapareceu há 10 anos em uma floresta do Norte. Para encontrar o príncipe, os dois devem seguir 4 sinais de Aslam para que possam encontrar o caminho até o príncipe, mas algumas coisas não dão muito certo para os dois, os colocando em diversas aventuras e enrascadas, como: Ir parar em um castelo de gigantes que comem humanos, num submundo com anõezinhos tristes e encontrar um narniano que é a personificação do pessimismo.

A leitura desse livro foi a mais rápida até o momento, eu li em 1 dia e meio, digo isso porque me forcei a parar a leitura, de tão entretida que eu estava com os personagens e a história. Ela me lembrou muito o primeiro livro, não pela história que é completamente diferente, mas pelos personagens, a busca por algo, toda a viagem até o objetivo, a feiticeira querendo conquistar Nárnia , além de ser uma história mais leve do que as últimas histórias, com personagens um pouco mais cômicos, embora ainda com aquele pequeno sentimento de despedida, toda a narrativa tem um "quê" de recomeço.

"[...]A luz do sol parecia chegar de um mundo diferente. Mais macia era a relva. Umas coisas reluziam no céu azul como jóias ou borboletas gigantescas." pág 525

Mais uma vez, muitos anos se passaram em Nárnia, então somos apresentados a novos personagens, e apenas alguns dos antigos retornam para aparições na narrativa. Eustáquio já não é o mesmo menino arrogante de antes, e faz tudo ao seu alcance para resgatar o príncipe, assim como Jill, que fica encantada com esse novo mundo chamado Nárnia, o Brejeiro talvez seja o personagem mais engraçado de toda a história, ele é um tanto quanto pessimista e melancólico, mas sempre está ao lado das crianças nos momentos mais difíceis, e mesmo que não acredite, é o empurrão que elas precisam para completar sua missão. A feiticeira também lembra um pouco a Jadis, com sua ânsia em conquistar Nárnia, porém seus poderes são mais persuasivos para realizar seu desejo. Os outros personagens secundários também são bem construídos, e complementam a história de um jeito muito satisfatório.

"Apesar de pálido, depois do longo cativeiro nas Terras Profundas, vestido de preto, empoeirado e cansado, havia no seu rosto alguma coisa que nã enganaria ninguém. Essa coisa existia no rosto de todos os verdadeiros reis de Nárnia, que governam em nome de Aslam, coroados em Cair Paravel, no mesmo trono de Pedro, o Grande Rei." pág 617


Essa leitura, trás mais uma vez, aquela sensação de um fim, o próprio Aslam diz isso em determinada parte do livro, as coisas estão mudando cada vez mais, e o fim das aventuras se aproxima. Nesse livro também é falado sobre a morte, e como muitos dos que vivem lá em Nárnia já se foram a muito tempo, até mesmo o próprio Aslam, acho que mesmo com toda essa áurea de aventura em volta desse livro, ele tem um fundo mais triste e apático, mas não menos interessante. Foi uma leitura muito divertida, bem fluida e proveitosa, e mesmo sabendo que o fim está próximo, com cada livro, tenho mais a certeza de que esse ciclo de Nárnia vai ser fechado de forma incrível.





Título Original: The Silver Chair
Título: A Cadeira de Prata
Autor(a): C.S.Lewis
ISBN: 9788578270698
Ano: 2009
Páginas: 111
Editora: Martins Fontes
Nota: 5/5
Adicione: Skoob | Goodreads

Não deixe de acompanhar o blog nas redes sociais! 

Nenhum comentário:

Deixe um comentário ;)

© Tudo que Motiva - 2014. Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.