19 de mai de 2016

Equilibrium, 2002

Olá pessoal, tudo bem?

O filme de hoje mostra um mundo futurístico onde todos são proibidos de sentir, ninguém pode amar ou odiar, ser feliz ou triste, neste mundo livros, músicas, a arte em geral é terminantemente proibida. Um filme com um enredo bem interessante, mas pouco original. Confiram!

Em um futuro não muito distante, após a temível Terceira Guerra Mundial, os sobreviventes da guerra vivem em uma cidade chamada Libria. Nesta cidade os habitantes tomam uma dose diária da droga Prozium, essa droga inibe qualquer tipo de sentimento, desde os bons sentimentos como amor, amizade, compaixão, como os ruins, raiva, ódio, tristeza. Eles acreditam que inibindo os sentimentos humanos a possibilidade de uma nova guerra é nula. O líder desta sociedade é denominado "Pai" (Sean Pertwee). 


Além de tomarem Prozium, todos os habitantes são terminantemente proibidos de possuir algo que desperte sentimento, como livros, obras de arte, música. Todos que deixam de tomar a droga ou possuem algum objeto deste é condenado a morte.

É claro que como em todo sistema opressor, neste também há um grupo de resistência, e os responsáveis por caçá-los são os agentes denominados de Sacerdotes. Eles são treinados com um sistema de luta altamente eficiente, onde apenas um agente consegue matar centenas de pessoas. John Preston (Christian Bale) é o melhor agente do grupo, um homem temido por todos, sem sentimento algum, praticamente uma máquina que caça rebeldes.



Por um descuido, Preston não toma sua dose diária de Prozium e começa a sentir de novo. Ele começa a se lembrar de coisas que fez, das pessoas que matou, ele também começa a enxergar o mundo de uma outra forma, e por causa desta experiência ele começa a não tomar mais a droga, ele começa a ficar consciente de seus atos.

É claro que os agentes desconfiam de Preston. Ele então foge e acaba se encontrando com o grupo de resistência. Preston entende que uma vida sem sentimentos, sejam eles bons ou ruins, não é uma vida que valha a pena. Preston então decide que irá lutar contra este sistema opressor, ele quer chegar ao líder supremo, ele pretende matar o "Pai".

Equilibrium é uma distopia com uma premissa bem interessante mas nada original. Durante toda a exibição do longa você com certeza vai se sentir tendo um déjà vu, principalmente para quem assisti muitos filmes do gênero, mesmo assim é um filme que vale a pena ser visto.

O enredo pode se assemelhar muito a Matriz, principalmente pelas roupas e cenas de luta, também possui um pouco do livro O Doador (que foi adaptado para o cinema como O Doador de Memórias) e também de 1984, entre outras clássicas distopias de regimes totalitários. 

Três pontos bem marcante para mim no filme, foram quando a obra Monalisa de Leonardo Da Vinci foi queimada, quando os Sacerdotes invadiram um canil para acabar com os cães e quando Preston matou seu amigo por ele estar lendo uma poesia.



A principal função do filme é nos fazer pensar em como é viver em um regime fascista e nazista, regimes estes vividos na Segunda Guerra Mundial, e também nos fazer refletir em como uma vida sem sentimentos é literalmente uma vida "sem sentindo". Não deixem de conferir.
"Sem amor, sem raiva, sem tristeza... a respiração é como um tiquetaquear de relógio."

Título Original: Equilibrium
Ano de Produção: 2002
Dirigido Por: Kurt Wimmer
Gênero: Ficção Científica, Ação, Suspense
Nota: 4/5
Não deixe de acompanhar o blog nas redes sociais
Instagram ♦ Twitter ♦ Facebook ♦ Skoob ♦ Google+ ♦ Goodreads

Nenhum comentário:

Deixe um comentário ;)

© Tudo que Motiva - 2014. Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.